Establishment Político Quer a Saída de Abraham Weintraub do Governo Bolsonaro

por paulo eneas
Cresce a pressão por parte do establishment político para a saída de Abraham Weintraub do Ministério da Educação. A área tecnocrática-militar descompromissada com a agenda conservadora que elegeu Bolsonaro, e que combate o setor minoritário conservador do governo, movimenta-se há meses pela saída do ministro.

Para esse setor, a saída de Abraham Weintraub permitirá dar início a uma completa adequação do governo ao establishment político, removendo dele todo e qualquer vestígio do movimento da direita conservadora que levou Jair Bolsonaro à Presidência da República. A pressão é feita também externamente, com setores da esquerda simplesmente pedindo a prisão do ministro, sem que ele tenha cometido ilegalidade alguma.

Na hipótese de o Presidente Bolsonaro ceder a estas pressões e exonerar Abraham Weintraub, amplos setores a direita conservadora seguramente irão reavaliar a forma de apoio ao governo, uma vez que ficará evidente que o eixo central conservador e de direita do governo, e que é o eixo que mobiliza e galvaniza o amplo apoio do presidente junto à sociedade, estará fortemente abalado.


 

7 COMENTÁRIOS

  1. Muitos vagabundos num ministério tomado pela esquerda…tem q privatizar TUDO! Funcionário públicos são PARASITAS mesmo!!!! Educação de MERDA….país do bla bla bla e está entre os últimos lugares nos rankings…..mas os carros das bonecas estão lá….novinhos nos estacionamentos das escolas e seus salários em dia…..q VERGONHA

  2. Vou dar um exemplo de censura: Estou banido do Twitter e preciso de outro número de telefone para criar uma conta

  3. WEINTRAUB É A PRINCIPAL CARA DA DIREITA CONSERVADORA NESSE GOVERNO. SEM ELE O PRESIDENTE VAI PERDER MUITO APOIO. ESSE SIM PRECISA FICAR NO GOVERNO.

  4. Weintraub não é uma pessoa ruim, mas não está sendo um bom Ministro da Educação. É muita conversa para pouco trabalho, lembrando nesse ponto o Vélez, com a diferença que este era esquerdista.

    Onde está a “Lava Jato da Educação”? Em vez de uma atuação destemperada, ele deveria focar no curto e médio prazo em solicitar e apoiar ações da Polícia Federal e da CGU para uma limpeza efetiva das nossas Universidades. Além disso, o que não falta são fraudes em processos seletivos de pós-graduação nas “Federais”, principalmente nas “Stricto sensu”. Só fazendo uma investigação nessas seleções já seria possível mandar para a cadeia o exonerar a nata podre do “sistema” nas UFES.

    É muito mais fácil prender e demitir um professor de História por porte ou mesmo tráfico de drogas do que alegar “parcialidade”, “ideologização” ou algo abstrato que sabemos que existe mas é de difícil enquadramento legal.

    Repito: Weintraub não é uma pessoas ruim, mas não está no lugar certo.

  5. Se de fato o Presidente ceder as pressões, saberemos o porquê do silêncio com tantas ptisões arbitrárias e tantas sabotagens dentro do executivo. Espero que o presidente tenha realmente a capacidade de representar os anseios legítimos do povo brasilriro. A inércia do passado está determinando os resultados do presente, mas daí saberemos se de fato as forças armadas são merecedoras da credibilidade depositada pelo povo patriota.

  6. Demitir o Abraham seria algo inacreditável e imperdoável. Seria uma traição tão grande quanto, por favor exemplo, indicar o Moro para o STF em novembro.

Deixe seu comentário