Procurador Augusto Aras Manifesta-se Contra Lei que Proíbe Ideologia de Gênero em Sala de Aula

O Procurador Geral República (PGR), Augusto Aras, pediu nesta sexta-feira (24/07) que o Supremo Tribunal Federal (STF) mantenha a cassação da lei de Londrina (PR) que proíbe discussões de gênero em sala de aula. Segundo Augusto Aras, somente a União pode criar regras sobre diretrizes e bases de ensino.

Ainda,de acordo com o Procurador Geral, a Lei de Diretrizes e Bases de Educação Nacional diz que mudanças no currículo da educação infantil devem ser aprovadas pelo Conselho Nacional de Educação e homologadas pelo ministro da pasta.

Augusto Aras chancelou a decisão do ministro Roberto Barroso, relator do caso. Em seu voto, eivado de considerações de natureza puramente ideológica e sem qualquer referência ao texto constitucional, Luiz Roberto Barroso afirma:

“A educação é o principal instrumento de superação da incompreensão, do preconceito e da intolerância que acompanham tais grupos ao longo das suas vidas. Impedir a alusão aos termos gênero e orientação sexual na escola significa conferir invisibilidade a tais questões. Proibir que o assunto seja tratado no âmbito da educação implica valer-se do aparato estatal para impedir a superação da exclusão social e, portanto, para perpetuar a discriminação.”

Se depender do estamento burocrático, especialmente sua área jurídica totalmente ocupada pela mentalidade esquerdista-progressista, a ideologia de gênero e outros itens caros à agenda comunista-globalista internacional terão presença garantida em sala de aula das escolas brasileiras.


 

2 COMENTÁRIOS

  1. Este é um tema a ser tratado EXCLUSIVAMENTE pelas famílias das crianças. Ninguém mais pode entrar neste assunto, nem Governo, nem STF e muito menos este Sr Aras.

Deixe seu comentário