A Vacina Chinesa & O Papel Desempenhado Pela Anvisa

por paulo eneas
O argumento usado por aqueles que estão procurando amenizar as fortes críticas que estão sendo feitas à decisão do Ministro da Saúde, General Eduardo Pazuello, de firmar um protocolo de intenção de compra de 46 milhões de doses da vacina chinesa é o de que a aquisição somente será efetivada após a aprovação da vacina pela Anvisa.

Esse argumento pressupõe a crença cega em uma estrita objetividade científica por parte da Anvisa em suas decisões. Ocorre que a realidade diz outra coisa: a Anvisa está entre os inúmeros órgãos do Estado brasileiro com uma maciça presença de esquerdistas. Prova disso é que esta mesma Anvisa, ao longo da pandemia, endossou todas as diretrizes da Organização Mundial de Saúde, braço do Partido Comunista Chinês.

Além disso, foi a Anvisa que, contrariando vontade manifesta do Presidente Bolsonaro, criou dificuldades e restrições para o acesso por parte da população aos medicamentos usados no tratamento precoce da covid: a hidroxicloroquina e a ivermectina.

E como se não bastasse, a própria agência já informou estar “acelerando” etapas para aprovação das vacinas. Portanto, é preciso uma dose razoável de ingenuidade para acreditar que lá na frente a Anvisa irá contrariar os laboratórios farmacêuticos, a grande imprensa ou o Partido Comunista Chinês e reprovar a vacina.

RESERVA DE MERCADO MACABRA: ANVISA CLASSIFICA CLOROQUINA E IVERMECTINA COMO MEDICAMENTOS CONTROLADOS

Deixe seu comentário